7 dicas na comunicação entre pais e professores, nesta era digital

A comunicação entre pais e professores mudou desde que éramos crianças. E-mails, aplicações e  mensagens de texto tornaram muito mais fácil manter contato.

Aqui está o que pode fazer para promover uma excelente comunicação entre pais e professores nesta era digital.

1. Seja paciente

Embora seja possível enviar, entre reuniões de trabalho e chamadas, um e-mail ao professor, lembre-se de que o trabalho dele envolve estar à frente dos alunos. Você prefere que o professor esteja atento aos alunos ou a responder a e-mails o dia todo? Então, se enviar um e-mail, lembre-se de que o professor poderá não ver logo ou não ter tempo para responder imediatamente.

2. Siga as regras.

Não dificulte enviando o seu filho para a escola com dispositivos móveis quando eles são proibidos. Apesar das boas intenções, provavelmente criará um problema na sala de aula. Você pode ter um bom motivo, como um problema familiar urgente ou um problema de saúde específico. Se você precisar de uma exceção, pergunte primeiro à escola.

3. Deixe, se possível, ser o professor a escolher o modo de comunicação.

A comunicação será muito mais fácil e mais amigável, pois você a tornará o mais simples possível para o professor. Respeite as suas preferências de comunicação. Se eles preferem mais o e-mail do que o telefone, é por e-mail. Obviamente, há momentos em que apenas o contato pessoal é apropriado, mas tente seguir as preferências do educador sempre que possível.

4. Ajude, se possível.

Os professores podem  não conseguir manter todos os espaços digitais. Você é experiente em tecnologia? Se o professor aceitar a sua ajuda, você poderá atualizar a página ou o blog da turma. O seu apoio não é apenas um gesto amigável – ele pode ajudar toda a turma.

5. Seja exemplo nos limites.

Às 23h da noite anterior ao fim do prazo de um trabalho, não é o momento apropriado para enviar um e-mail a um professor e, certamente, não é o momento de esperar uma resposta imediata.

Se o seu filho não anotou a tarefa de casa, ele não consegue contatar com um colega de turma?

O seu filho não deve criar o hábito de enviar um e-mail para o professor em vez de anotar as coisas ou aprender a pesquisar os assuntos.

6. Mantenha-se profissional: não faça amizade com o professor nas redes sociais e não se ofenda se o professor não aceitar o seu pedido.

Se  já está conectado ou faz parte das mesmas comunidades digitais não envie uma mensagem para o professor. Quando o seu filho deixar de ser seu aluno, deixe ser o professor a tomar a iniciativa, caso pretenda, de se conectar consigo. Se  tiver o número de telefone pessoal de um professor (talvez ele tenha telefonado para si para discutir alguma coisa), não o use, a menos que o professor o solicite explicitamente ou seja um assunto mesmo urgente. Deixe uma mensagem na escola, envie um e-mail ou use o sistema de gestão da aprendizagem da escola.

7. Assuma boas intenções.

A menos que haja fortes evidências em contrário, confie que as intenções do professor são boas. Se um professor não responder a um e-mail, ele pode estar com uma montanha de testes para corrigir, lendo o trabalho do seu filho ou jantando com a família. Assumir boas intenções ajuda bastante.

Novas tecnologias e novas oportunidades de comunicação podem ser muito benéficas para a colaboração de pais e professores – se lidarmos com elas com cuidado. É mais fácil para o professor colaborar consigo para resolver problemas quando abordamos a comunicação de maneira profissional e empática.

 

Texto publicado no site Cool Mom Tech, traduzido e adaptado de forma livre para português por  Parentalidade Digital.

Siga-nos no Facebook